Secretário da Justiça participa virtualmente da abertura do Afro Presença

 

 

O secretário da Justiça e Cidadania, Fernando José da Costa, participou virtualmente nesta segunda-feira (08) da abertura da segunda edição do Afro Presença, idealizado e coordenado pelo Ministério Público do Trabalho em São Paulo (MPT-SP) e com realização do Rede Brasil do Pacto Global da ONU. O evento prossegue nos dias 09 e 10 de setembro.

Contando com o apoio do poder público, da iniciativa privada e da sociedade civil, o congresso tem como mote "Derrube muros, abrindo portas", que visa encorajar o diálogo e ações afirmativas para a inclusão de universitários negros e negras no mercado de trabalho. 

Durante sua saudação, Fernando José da Costa ressaltou que a Pasta atua na defesa dos direitos humanos e combate à discriminação racial, religiosa.  “As estatísticas demonstram que infelizmente o racismo ainda persistem na nossa sociedade, e a inserção da comunidade negra no mercado de trabalho, bem como sua ascensão profissional ainda é muito restrita. Por meio de diálogos, exposições, palestras, e com aplicações de sanções administrativas como advertências e multas que a Secretaria da Justiça aplica, continuaremos trabalhando e lutando pela igualdade de direitos”, concluiu.

A abertura do evento contou ainda com as presenças de José de Lima Ramo Pereira, Procurador-Geral do Trabalho (MPT); Rodolfo Sirol, Presidente do Conselho  de Administração do Instituto Rede Brasil do Pacto Global; Martin Georg Hahn, Diretor do Escritório da OIT no Brasil; Sebastião Vieira Caixeta, Conselheiro Nacional  do Ministério Público e Procurador Regional do Trabalho; João Eduardo de Amorim, Procurador-Chefe do Ministério Público do Trabalho; Elisa Lucas Rodrigues, Secretária Executiva Adjunta de Direitos Humanos e Cidadania; Mônica de Melo, Pró-Reitora de Cultura e Relações Comunitárias da PUC-SP; Manuel Nabais da Furriela, Reitor da FIAM FAMM; e Valdirene Silva de Assis, Procuradora do Trabalho, Coordenadora do Projeto Nacional de Inclusão de Jovens Negras e Negros do MPT e Coordenadora Geral do Afro Presença.

A programação do evento, totalmente gratuita, reúne aulas magna, oficinas de recursos humanos e painéis com universidades, empresas, agências de publicidade e escritórios de advocacia, à fim de promover debates que buscam reverter o quadro de desigualdade para o alcance de um cenário profissional mais justo e irrestrito.

Além disso, haverá oportunidades de vagas de trabalho, além de atrações de encerramento ao final de cada dia, com performance de artistas que traduzem a magnitude do projeto como Olodum e o Espetáculo Teatral Solano, Vento Forte Africano.

 

Sobre a ação “Afro Presença”

O Movimento Afro Presença surgiu através do Projeto Nacional de Inclusão de Jovens Negras e Negros Universitários no mercado de trabalho, promovido pelo Ministério Público do Trabalho. O Afro Presença tem como objetivo prevenir e combater a discriminação racial nas relações de trabalho e valorizar a diversidade racial nos espaços empresariais, de modo a reduzir as desigualdades raciais no campo econômico e, consequentemente no social, político e cultural.

Em 2020, o Pacto Global da ONU foi envolvido no Afro Presença para trabalhar a redução das desigualdades no setor privado, através do ODS 10 - Objetivo de Desenvolvimento Sustentável) da ONU (reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles).

Uma das estratégias do projeto é o Pacto pela Inclusão Social de Jovens Negras e Negros Universitários no Mercado de Trabalho, que tem como objetivo fortalecer as ações voltadas à população negra, buscando ampliar a sua inserção e ascensão ao mercado de trabalho. As instituições que aderem ao Pacto passam a fazer parte da rede de inclusão constituída por entidades dos movimentos negros, empresas, associações de classe, universidades, organizações nacionais e internacionais.

O Afro Presença 2021 conta com o apoio de marcas como B3, Basf, Bayer, Bradesco, BTG Pactual, Coca-Cola, Colgate, Dow Química, Itaú, J.P. Morgan Brasil, Natura, Santander, TIM, Unilever, e dos Movimentos sociais: Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes (EDUCAFRO), Geledés Instituto da Mulher Negra, Movimento Negro Unificado (MNU), UNEAFRO – União de Núcleos de Educação Popular para Negras/os e Classe Trabalhadora, A União de Negros pela Igualdade (UNEGRO).