A luta pela abolição não termina em 13 de maio

De 1888 para cá, o movimento negro e a historiografia evoluíram e, apropriando-se da questão, pleitearam também o Dia da Consciência Negra, fixado em 20 de novembro, concretizando a memória de Zumbi dos Palmares.

Hoje, no Estado de São Paulo, ações afirmativas do Poder Público ajudam a construir novas políticas destinadas à população negra. Seja na pontuação diferenciada em concursos públicos; ou na implementação de cotas nas universidades; no desenvolvimento de programas vinculados aos quilombos paulistas; ou nas normas legais contra o racismo (Lei Estadual 14.187/2010) e, principalmente, na punição da intolerância religiosa em relação às religiões de matriz africana, a ampliação da consciência nunca volta atrás!