Cidadania - Secretária executiva da Justiça participa do 8º Fórum Empreendedoras

 

A secretária executiva da Justiça e Cidadania, Ana Paula Bandeira Lins, participou nesta quinta-feira (20) do 8º Fórum “Empreendedoras – Propósito e Impacto”, realizado no Clube Homs, localizado na região da Paulista.

Com mais de 4.000 mulheres inscritas, o evento de empreendedorismo feminino, que prosseguiu nesta sexta-feira (20), apresentou histórias e casos de mulheres que tiveram suas vidas transformadas graças a sua visão empreendedora.

A secretária executiva falou do apoio da Pasta ao Projeto "Ela Pode", uma iniciativa do Instituto Rede Mulher Empreendedora (IRME), com parceria do Google, que visa a empoderar mulheres empreendedoras, garantindo-lhes independência financeira e decisão sobre seus negócios e vidas.

O Centro de Integração da Cidadania (CIC), programa da Secretaria da Justiça, já realizou 6 encontros em 4 das suas unidades (Norte, Feitiço da Vila, Casa da Cidadania e Jundiaí), com a participação de 190 mulheres.

As participantes aprenderam a negociar, gerenciar renda, criar rede de suportes, networking, liderança, comunicação, entre outras atividades relacionadas ao mercado de trabalho.

 

Ana Paula Bandeira Lins, também vice-presidente da Fundação CASA, ainda salientou a relevância do Programa Women Will, do Google. A iniciativa contemplou 27 meninas da vinculada, estando 15 em internação ou regime de semiliberdade nas unidades Taipas e Chiquinha Gonzaga e 12 em liberdade.

Durante 4 dias de treinamento presencial, foi apresentada uma agenda para o empreendedorismo feminino. Entre os temas tratados estiveram: ferramentas digitais, negociação, autoimagem, liderança feminina, empregabilidade na prática e marketing digital.

Com isso, as jovens foram incentivadas a desenvolver novas habilidades técnicas, comportamentais e pessoais e a desenvolver a independência financeira.

Durante a explanação, a secretária executiva destacou a campanha “Mulher, você pode!”, lançada em março pela Secretaria da Justiça. A campanha permanente pretende valorizar o papel da mulher na transformação da sociedade. Na oportunidade, foram assinados protocolos de intenção para ampliar o atendimento de serviços gratuitos voltados às mulheres nas áreas de saúde, educação, lazer, direito, psicologia e assistência social nas unidades do CIC.

 

Rede Mulher Empreendedora (RME)

Idealizada em 2010, por Ana Lúcia Fontes, a Rede Mulher Empreendedora nasceu durante o “Programa 10 mil Mulheres da FGV”, quando Ana teve a ideia de criar um blog sobre os medos, as dúvidas e as dificuldades do empreendedorismo feminino.

Em 2017, Ana Fontes criou o Instituto Rede Mulher Empreendedora, focado na capacitação de mulheres em situação de vulnerabilidade.

Um ano depois, em 2018, criou a Aceleradora Herd, braço responsável por criar programas de desenvolvimento e apoiar projetos e negócios de mulheres.

A Rede Mulher Empreendedora – RME é a primeira e a maior plataforma de apoio ao empreendedorismo feminino do Brasil, com o propósito de empoderar empreendedoras economicamente, garantindo independência financeira e de decisão sobre seus negócios e suas vidas.

A RME acredita que quando uma mulher é empoderada financeiramente, ela não muda só a realidade de sua família, mas também a da sociedade. Quando a mulher têm negócios que dão certo, elas investem em suas comunidades para que haja um contínuo desenvolvimento e tratam seus públicos de interesse como uma família estendida, pois acreditam no poder colaborativo para melhorar o mundo.

 

Assessoria de Comunicação

Secretaria da Justiça e Cidadania

Email: justica@justica.sp.gov.br

Tel.: (11) 3291-2612

Compartilhe esta notícia: