Coordenação de Políticas para a Mulher realiza atividade em parceria com o Sindicato das Empregadas Domésticas

A Coordenação de Política para a Mulher realizou, em parceria com o Sindicato das Empregadas e Trabalhadores Domésticos da Grande São Paulo (Sindoméstica), palestras de orientação sobre os direitos trabalhistas nas unidades do CIC Feitiço da Vila e CIC Oeste.

As palestras contaram com a participação da Coordenadora de Políticas para a Mulher, Edna Martins, a Presidente do Sindomésticas, Janaína Mariano de Souza, da advogada do Sindoméstica, Nathalie Rosário de Alcides e da empregada doméstica e influencer digital, Gilda Cypriano. 

A Coordenadora de Políticas para a Mulher apresentou as políticas públicas estaduais, voltadas para as mulheres, e os serviços prestados pela Secretaria da Justiça e Cidadania.

A influencer falou sobre autoestima e dicas para as profissionais de valorização da categoria e do trabalho, já a advogada do Sindoméstica falou sobre direitos das empregadas domésticas e das conquistas trabalhistas como, por exemplo, o registro em carteira e o FGTS.

No CIC Feitiço da Vila, que tem a direção de Carlos Alberto Rodrigues Mariano e é localizado no bairro Valo Velho, a palestra aconteceu no dia 27/04 e já no CIC Oeste, sob direção de Edilaine Oliveira Daniel localizado no bairro do Jaraguá, a ação aconteceu no dia 28/04, ambas às 14hs.

O público foi composto, majoritariamente, por mulheres que moram nas regiões próximas ao CIC, que puderam tiras suas dúvidas e participar de um café oferecido pelo Sindoméstica.

“O evento foi muito motivador e a participação das mulheres mostrou o quanto o tema precisa ser mais discutido na nossa sociedade” relata a Coordenadora da pasta.

Apesar do setor também empregar homens, os serviços domésticos são compostos por 92% de mulheres, que trabalham em serviços gerais – principalmente como empregadas ou diaristas – e outras atividades, como cozinheiras, babás e cuidadoras, segundo dados do SEADE (2022).

Desta forma, esta ação também é uma oportunidade de promover a cidadania de mulheres e igualdade de gênero, pois a desigualdade no mercado de trabalho pode ser combatida com a orientação e informação sobre direitos.