CRAVI realiza palestras em alusão ao Dia da Consciência Negra celebrado e 20 de novembro

 

 

Em alusão ao dia da “Consciência Negra”, celebrado em 20 de novembro, o Centro de Referência e Apoio à Vítima (CRAVI), programa da Secretaria da Justiça e Cidadania, promoveu nesta na sexta-feira (26), às 10h, o evento “Mês da Consciência Negra: Cuidados e Reflexões sobre o 20 de novembro”, no Auditório Espaço da Cidadania, André Franco Montoro, localizado no Pátio do Colégio,184- Centro. 

O encontro tem como objetivo sensibilizar a sociedade de que o preconceito, e a discriminação racial são crimes previstos no código penal Brasileiro, que cometidos, causam efeitos práticos e subjetivos para as vítimas de violência, entre outras a racial.

Na abertura, a coordenadora  interina do CRAVI, Siméia Ivo, apresentou o perfil das vítimas atendido pelo programa, além de dados da violência (feminicídio) sofrida pelas mulheres negras que representam majoritariamente o público atendido.

Na sequência, ocorreram duas palestras “A Importância do Mês da Consciência Negra: Histórico e Atualidades”,  ministrada pela profa. Elisa Lucas Rodrigues – secretária executiva adjunta da Secretaria de Direitos Humanos da Prefeitura do Município de São Paulo, e “Recorte Racial na Perspectiva da Psicologia Pontuando as Consequências Emocionais na Vida das Vítimas de Racismo”, debatida por Barbara O. Pina, psicóloga clínica, mestranda em Saúde Coletiva pela UNIFESP e pesquisadora de Relações Raciais e de Gênero. 

No final dos trabalhos, o secretário executivo da Justiça e Cidadania, Luiz Orsatti Filho, cumprimentou a equipe do CRAVI pelo trabalho exitoso que vem realizando e ressaltou que a Pasta trabalha na defesa dos direitos humanos das populações vulneráveis. “Esperamos celebrar apenas o dia do ser humano, e apenas relembrar, de uma forma bem remota, todo esse passado de discriminação e preconceito contra a população negra, que ainda persiste na nossa sociedade. O Estado de São Paulo não tolera a intolerância e enquanto estivermos aqui essa será a nossa bandeira”, disse Orsatti.

 

CRAVI 

O CRAVI oferece atendimento psicossocial e jurídico gratuito às vítimas e seus familiares. Qualquer cidadão (a) que tenha passado por uma situação de violência de qualquer natureza (homicídio, latrocínio e feminicídio) consumado ou tentado, inclusive violência doméstica, será acolhido no serviço por uma equipe interdisciplinar, especializada em realizar a triagem dos casos. Em razão da pandemia da COVID 19, os atendimentos ocorrem de forma remota. 

Para entrar em contato com o CRAVI basta ligar para (11) 3666-7960 ou 3291.2624 ou enviar e-mail:cravi@justica.sp.gov.br