CECF promove live sobre empoderamento da mulher negra nesta quinta-feira (22)

 

O Conselho Estadual da Condição Feminina, da Secretaria da Justiça e Cidadania, promoverá nesta quinta-feira (22), às 17h, via Facebook, a live “Empoderamento da Mulher Negra”. Para participar basta acessar o link: https://www.facebook.com/ComissaoDeEventosCECF/

O evento integra as ações da Campanha Direitos Iguais: Chega de Machismo, Chega de Preconceito, Chega de feminicídio lançada pela Secretaria da Justiça e Cidadania na segunda-feira, 08 de março.

O encontro contará com a participação de Eunice Aparecida de Jesus Prudente, secretária Municipal de Justiça  e Cidadania. formando-se advogada pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo em 1972, possui  mestrado e doutorado. Tem como áreas de pesquisa Direito do Estado, Direitos Humanos Fundamentais, Discriminação Étnica e Feminismo.  Tem vários artigos publicados, sendo autora da primeira tese que propõe a criminalização da discriminação racial, publicada no livro “Preconceito Racial e Igualdade Jurídica: a cidadania negra em questão” pela Editora Julex, em 1989. Integrou a Frente da Mulheres Feministas.

Exerceu diversas funções públicas: Diretora Executiva da Fundação PROCON São Paulo ( 2006), Secretária de Justiça do Estado de São Paulo ( 2007 a 2008), Diretora Técnica da Ouvidoria Geral do Estado (Secretaria de Governo) onde presidiu o Conselho de Transparência da Administração Pública (2015 a 2020 ).

O debate será mediado pela Vice presidente do CECF Rosmary Corrêa (Delegada Rose)

O Conselho já realizou seis lives: “Feminicídio desfecho de dor e violência”, “Órfãos da Pandemia”, “O quarteto da felicidade na pandemia”, “Perseguição Agora tem Lei n°14.132”, e "Inteligência Emocional, “Amor Passional”, e “O Direito do Trabalho na Pandemia”.

 

Sobre o Conselho

O Conselho Estadual da Condição Feminina tem como atribuições formular diretrizes e promover atividades que visam à defesa dos direitos da mulher, à eliminação das discriminações que as atingem, bem como a plena integração na vida socioeconômico e político-cultural; assessorar o Poder Executivo, emitindo pareceres e acompanhando a elaboração de programas de Governo nos âmbitos federal, estadual e municipal em questões relativas à mulher, tendo como objetivo defender seus direitos e interesses; e desenvolver estudos, debates e pesquisas sobre a problemática da mulher.